Blog

Confira as mudanças na franquia de bagagens das companhias aéreas em voos nacionais

A cobrança de uma taxa extra para os passageiros que precisarem despachar suas bagagens já pode ser feita pelas empresas aéreas em voos nacionais. Em meio a diversas polêmicas, incluindo uma liminar que impedia a cobrança pela 10ª Vara da Justiça Federal do Cear, agora a nova resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) está vigorando.

Passado

Antes, em voos domésticos, todos os passageiros tinham direito a despachar uma mala de até 23 kg, além de levar uma bagagem de mão de até cinco kg consigo. Já para voos internacionais, a franquia era maior: o despacho de duas malas de até 32 kg era permitido e – variando de uma companhia aérea para outra – o peso da bagagem de mão, entre oito e 10 kg.

Presente

Agora a decisão sobre quantas e quais tarifas incluirão ou não a franquia de bagagem fica critério da companhia aérea. É bom lembrar que aquela empresa que abrir mão dessa escolha deve, necessariamente, ser mais barata do que as já oferecidas atualmente. Algumas empresas já se adequaram às mudanças e os valores que elas pretendem cobrar pela franquia de bagagem já foram anunciados.

As novas regras aprovadas retiram o Brasil do pequeno grupo de países que ainda regulavam a franquia das bagagens: atualmente, Venezuela, México, Rússia e China deixam essa tarefa nas mãos do Estado, enquanto no resto do mundo as regras são mais flexíveis e a decisão final cabe às companhias aéreas.

De olho na bagagem e no bolso: confira a nova política das principais companhias aéreas nacionais

a)            Gol

Desde 20 de junho, a Gol oferece uma tarifa mais barata para quem não precisar despachar bagagens, chamada de Light. Já as tarifas com preço normal incluem uma franquia de 23 kg. Se o cliente que comprou o bilhete da tarifa Light decidir posteriormente despachar a bagagem, poderá pagar à parte. Nos voos nacionais, é cobrado R$ 30 para despachar uma mala de até 23 quilos, quando adquirida nos canais de autoatendimento e nas agências de viagens. Quem deixar para pagar no balcão do check-in, paga o dobro.

b)           Azul

A Azul disponibiliza desde 1º de junho tarifas com até 30% de desconto para clientes que partem de Viracopos, em Campinas, para 14 destinos pelo país e que não despacham bagagens. Ao optar por essa tarifa, o cliente pode escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada e, se mudar de ideia, poderá incluir os 23 kg por R$ 30. A nova opção será inserida gradativamente para atender a toda a malha de voos da empresa. Os clientes que comprarem a passagem pelo preço normal continuam com a franquia de bagagem de 23 kg.

c)            TAM

Na LATAM as regras de bagagens da companhia permanecem inalteradas e a empresa informará oportunamente sobre as mudanças a seus passageiros nos canais oficiais da empresa.

d)           Avianca

A Avianca estudará a questão nos próximos meses para criar produtos tarifários customizados para melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes. A empresa informa que implementará todas regras aprovadas pela Anac no prazo determinado.

Tags: , , , , , , ,